O portal do FARA

Forum Angolano de Reflexão e de Acção.

Angola: Secretária Geral do CICA destaca êxitos da instituição em 2013

Luanda - A secretária geral do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA), Deolinda Dorcas Teca, destacou nesta terça-feira, em Luanda, os feitos que a instituição alcançou no presente ano, nomeadamente, no combate à violência doméstica.

Secretaria Geral do CICA, Deolinda Taca. Foto: Angop

 

 

Eis o texto integral da entrevista:


Angop – 2013 foi basicamente o seu primeiro ano de mandato, qual é a avaliação que pode fazer?

 

Deolinda Teca (DT) - Damos graças a Deus porque isso representa a maturidade das igrejas em relação aos aspectos do género, por outro lado, no presente ano, a instituição correspondeu com as igrejas membros e irmãs, estamos a viver um ambiente favorável, é positivo a maneira como as igrejas têm correspondido às questões internas e estruturais do CICA. À margem disso, participamos em encontros onde a igreja apresentou o seu parecer, soubemos dar continuidade as relações já existentes com instituições governamentais e da sociedade civil.

 

Angop - A esta altura quantas igrejas estão filiadas ao CICA?

 

DT - O CICA tem filiadas 19 igrejas e duas associações. As igrejas filiadas são aquelas que pediram filiação ao CICA e em termos de referência correspondem ao estatuto do CICA. Já as igrejas irmãs, como Tocoista, Teosófica e Bom Deus, não são membros porque ainda não apresentaram a sua filiação.

Angop - No que toca ao resgate de valores morais e a mudança de mentalidade, como é que foi a vossa parceria com o Estado em 2013?

 

DT - Participamos em vários encontros ligados ao resgate de valores morais e cívicos, participamos em alguns certames ligados à educação de adultos, alfabetização, direitos humanos, encontros com a Comissão Nacional para o Desarmamento da População Civil e outras actividades de relevância.

 

Angop - No presente ano, qual foi o ponto mais alto das vossas acções?

 

DT - Em 2013, as nossas forças estiveram mais voltadas em dois grandes programas: O primeiro, relativo a violência doméstica e o segundo foi a Boa Governação e Monitoria Social. No programa de Boa Governação e Monitoria Social, o CICA apresentou um relatório de base que veio das comunidades com avaliação participativa. Neste programa, fomos em algumas aldeias onde tomamos conhecimento das principais necessidades das populações. O referido relatório posteriormente foi partilhado com membros do Governo, da sociedade civil e de outras instituições nacionais e internacionais.

 

Angop - No que é que se cinge o programa de Boa Governação e Monitoria Social?

 

DT - Este trabalho é feito com as comunidades de base através de uma área específica no CICA, denominada de Departamento de Assistência Social e Desenvolvimento. Esta secção, em cooperação com as administrações locais, vai às comunidades e procura saber as necessidades básicas da população. Neste momento, quatro províncias estão a beneficiar do programa de Boa Governação e Monitoria Social, designadamente Benguela, Kwanza Sul, Uíge e Zaire.

Angop – Com o programa de Boa Governação e Monitoria Social quais são os principais problemas que vocês encontraram no seio dessas comunidades?

 

DT - Fizemos um trabalho de avaliação participativa, no qual, as mulheres apontaram para a necessidade de água, hospitais e escolas. Há aldeias em que as populações percorrem longas distâncias em busca de água e de serviços hospitalares. Os jovens também expuseram as suas preocupações tendo apelado para a necessidade de zonas de lazer ou recreação. Basicamente fizemos um trabalho de advocacia junto das comunidades e do Governo local.

Angop - Previsões para 2014?

 

DT - Em 2014 o CICA pretende continuar a trabalhar no programa contra a violência do género, edificação da democracia e da cultura da paz. Mesmo a nível das famílias vivem-se conflitos que precisam de resolução pacífica.

Angop - Que outros desenvolvimentos foram alcançados em 2013?

 

DT – Discussão aberta sobre violência doméstica, sobretudo com as mulheres. Neste sentido houve sempre a necessidade da criação de um centro de aconselhamento, e este ano conseguimos, apenas aguardamos a sua inauguração. O centro tem uma capacidade de atender 20 pessoas diariamente, um trabalho que será feito por um um psicólogo, um jurista, um pastor, um enfermeiro e um massagista. A questão da violência contra a mulher, para além de ser um aspecto psíquico muitas vezes passa também por um aspecto físico.

 

Angop - Quanto ao Islamismo… o que se lhe oferece dizer?

 

DT - Quanto ao Islamismo há uma grande preocupação das igrejas cristãs, conhecendo a sua natureza, é importante que as igrejas continuem a trabalhar fortemente na educação cristã.

 

Angop - Algumas práticas do Islamismo como a amputação genital e outras chocam com os nossos valores…

 

DT- Determinadas práticas do Islamismo e de outras religiões existentes em Angola chocam com os valores cristãos, e claro, precisamos de olhar também para isso relacionando um pouco com a soberania nacional…

 

Angop - Quer acrescentar alguma coisa que não tenha frisado no decorrer da conversa?

 

DT - A paz é dom de Deus e deve ser preservada, Angola pode ser uma bênção e um exemplo para o continente e para o mundo.  

 

 

 

                                                                                                                                                     Angop

 

 

 

Partager cet article
Repost0
Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :
Commenter cet article
N
uma seita chamado poder espiritual do verbo , psv proveniente da rdc, a umas situações graves, lutas do poder entre eles com as facas, principalmente todos domingos depôs da orações, e no meio da semanas venda de droga, violência das crianças, pedofilia, roubo, trafico, abusos de confiança muitos problemas, só as autoridades que podem resolver isto com urgência, esta informação e justa real, seria, podem enviar uma equipa para saber das realidades, os promotores são: 1, DOMINGOS L. CHAVES, 2. EDUARDO MANZENZA NZINGA, 3. DIKETI LUWAWU, 4. ORLANDO BOCA, 5. FRANCISCO LUFUMA, 6. TSHIBANGU ILUNGA, 7. MARIA SOLANGE VICENTE, 8. NDONGALA PEDRO, TATI PEDRO, 9. MALUNGU JOAO DAMIAO, 10. MAXAMBUTA J. METRO, 11. SAMUEL BAVUA, 12. FIGUERREDO DOS SANTOS, 13 NSIMBA VINGI,14. NSINGI MANUEL, 15. COSTA ALBANO KIZELETE, 16 CORNELHA CARLOTA, 17 FLORENÇIA NGEVE, 18. PEMBELE NAMESO, 19, ELISA TUMA, 20. SONA MENAYAME,21. FRANCISCO FREDI, 22. EDUARDO MARQUES MAQIESSE, 23. FILOMENA SENDO, 24. BOSSETI PANGA, 25 . JOAO PAULO, com os contactos , 912690919, 912329503, 923809150, 929219485, 941969189, 913990350, 923736101, 928587641, 931716805
Répondre
F
Estimado Ndongala, agradecemos a tua visita. A situaçâo que acaba de nos narrar é grave, aconselhamos de contactar as autoridades compententes para investigar sobre as exações cometidas nesta seita religiosa. Saudações!
N
Bom dia, por favor e uma preocupação grave e sérios, estamos a pedir as autoridades do inar, inac, policia nacional, fiscais, em fim aqui no meu bairro mabor, município de cazenga,na antiga fabrica de pneus, junto a um posto medico ndozi segunda rua, quinto quintal a direita enfrente de um centro infantil, uma seita chamado poder espiritual do verbo , psv proveniente da rdc, a umas situações graves, lutas do poder entre eles com as facas, principalmente todos domingos depôs da orações, e no meio da semanas venda de droga, violência das crianças, pedofilia, roubo, trafico, abusos de confiança muitos problemas, só as autoridades que podem resolver isto com urgência, esta informação e justa real, seria, podem enviar uma equipa para saber das realidades, os promotores são: 1, DOMINGOS L. CHAVES, 2. EDUARDO MANZENZA NZINGA, 3. DIKETI LUWAWU, 4. ORLANDO BOCA, 5. FRANCISCO LUFUMA, 6. TSHIBANGU ILUNGA, 7. MARIA SOLANGE VICENTE, 8. NDONGALA PEDRO, TATI PEDRO, 9. MALUNGU JOAO DAMIAO, 10. MAXAMBUTA J. METRO, 11. SAMUEL BAVUA, 12. FIGUERREDO DOS SANTOS, 13 NSIMBA VINGI,14. NSINGI MANUEL, 15. COSTA ALBANO KIZELETE, 16 CORNELHA CARLOTA, 17 FLORENÇIA NGEVE, 18. PEMBELE NAMESO, 19, ELISA TUMA, 20. SONA MENAYAME,21. FRANCISCO FREDI, 22. EDUARDO MARQUES MAQIESSE, 23. FILOMENA SENDO, 24. BOSSETI PANGA, 25 . JOAO PAULO, com os contactos , 912690919, 912329503, 923809150, 929219485, 941969189, 913990350, 923736101, 928587641, 931716805, e uma informação real, feito em luanda 23. 03. 2014
Répondre